quarta-feira, maio 19, 2010

Eu amo a Lua Minguante

Eu amo a Lua minguante
Envolta na nuvem distante
Lá no céu luzindo, brilhante,
Sem por quê, nem pra quê.

Eu amo a Lua distante
Envolta na nuvem minguante
No céu pendente, errante,
Sem me querer ou saber.

Eu amo a Lua que chora
Brilhante no céu de noite,
Serena, silente, minguante,
Solta no espaço a correr.

Minguante, a Lua que amo, distante
No céu de escuro brilhante
Rasgando a noite gritante
Sozinha quase a morrer.

Eu amo a Lua ausente,
Solitária, pendente,
Correndo noites quentes e frias,
Que não me vigia ou me vê.

Eu amo a Lua que minguante
Se cobre na nuvem distante
De cor tão forte, brilhante,
Que no céu de noite sozinha
Me faz chorar e tremer.

VISITE: www.marciowaltermachado.com.br

3 comentários:

Priscila disse...

Parabéns Marcio, cada dia mais lindo seus poemas..
Mas nao se mantenha sempre distante
da pobre Lua Minguante.
Pois ela mingua nao por vontade
Mas é por tanto saudade de voce!

Beijos e se cuida heim menino

Déia Poeta disse...

:))))))))))))))))Adoro...Saudosita!

Anônimo disse...

Márcio,
Parabéns pela poesia!Amei! É Linda!e Profundo!
Muita Criatividade e Inspiração.
CONTINUE SENDO ESSE ARTISTA!
TORÇO POR VC!SUCESSO!!!

Kiss,

Lena

Tervetuloa Turkuun! Turku, a cidade da margarida gigante.

“Perplexidade” – essa é a palavra que toma conta de nós quando ouvimos falar de ataques terroristas. Pois, é difícil entender, por exem...