sábado, fevereiro 07, 2009

Um poema de amor / A love poem

Eu queria escrever um poema de amor
Que não falasse de tristezas nem de corações partidos
E, em vez da saudade imensa que sinto,
Falasse dos abraços que você me deu e dos beijos roubados
De que você gosta tanto.

Dentro de mim há um querer tão grande
E uma vontade imensa de gritar:
Vai, voz, alcança a alma de quem me fez rir
Tantas vezes  e me alegrou tanto
E traz de volta para mim aquela voz de anjo
E aqueles olhos de mar.

Eu pus os meus desejos nas asas da andorinha
E pedi a ela que voasse o mundo para te encontrar;
Lhe disse que ao ver você, batesse as asas
Deixando meu amor cair sobre seu coração
E te mandasse de volta pra casa.

Por onde voa, por onde vai a andorinha?
Quais ventos encontrou, qual provação?
Passou pelo inverno, primavera, outono, verão?
Ou está a descansar suas pobres asinhas?

Eu pus os meus desejos nas asas da andorinha
E pedi ao vento que sobre você ela fizesse pouso
E lhe lembrasse que o meu coração não é de carne
É brasa viva e tem a forma do seu rosto.

VISITE: www.marciowaltermachado.com.br

I wanted to write a poem of love
That wouldn't talk about sadness or broken hearts,
And, instead of the immense yearnig I feel,
Talked about the times you embraced me and the stolen kisses
That you like so much.

There is such an enourmous longing within me
And a mostruous desire to shout:
Go, voice, reach the soul of the one who made me laugh
So many times, and so many times made me happy
And bring back to me that voice of angel
And those eyes of deep seas.

I put my desires onto the wings of the swallow
And prayed her to fly the world to meet you;
I told her to flap her wings when she saw you
Pouring my love into your heart to send you back home.

Where does the swallow fly, where is it going?
What winds has she found? what hardships?
Has she flown through winter, spring, fall and summer?
Or is she resting her tired wings?

I put my desires onto the wings of a swallow
And asked the wind to help her find home in you
And remind you that my heart is not made of flesh,
But of living coal and that it has the shape of your face.

VISIT: www.marciowaltermachado.com.br

2 comentários:

Pritcila disse...

muito lindo amigo...certa vez fiz um poema como esse, que começava tb com 'eu qria escrever um poema de amor', mas essas coisas sempre acontecem ne.. desejamos algo, e muitas vezes é tao dificil, ou complicamos as coisas simples da vida..Seu poema é muito mais profundo,mais belo... e estas sempre de parabéns!!!

Douglas Marques disse...

OOOI, como sempre, achei lindo você sofrendo (: HAHAHAH³