terça-feira, janeiro 12, 2010

À menina de Feira (de Santana)

Tem uns olhos lindos a menina de Feira,
E um sorriso encantador.
Como fiquei feliz em rever o rosto, em sentir o cheiro, em beijar o gosto,em abraçar o corpo da menina de Feira.

Ela estava lá esperando por mim, olhando um ônibus e outro,
Coração palpitante, talvez, sentidos em suspensão como os meus.
As mãos tremiam de leve, eu senti ao tocá-las, o rosto sereno
Me lembrava caminhadas na praia, pôres-do-sol e risadas de intimidade.

Estava linda em seu vestido florido e bolsa de sisal nas mãos
Me esperando na rodoviária, olhando um ônibus e outro, a menina de Feira.
Há quanto não nos víamos, a menina de Feira e eu; quantos mares,
Quantos lugares deixamos de viver juntos.
Mas agora estávamos ali, parados, diante um do outro,
Cheios de recordações e saudades, cheios de sentidos renascidos.
Ah! aquele vestido florido da menina de Feira.

Queira Deus que em breve eu volte a ver o rosto lindo,
A sentir o cheiro de flores, o corpo viçoso, moreno, querido
Da minha menina de Feira.

Um comentário:

Anônimo disse...

Meu lindo, estou emocionada! obrigada.